• Dr. Paulo Tenório

Cesareana: entenda esse tipo de parto eventual.

Cesariana é uma intervenção cirúrgica para realizar o parto de um ou mais bebés. As cesarianas são muitas vezes necessárias nos casos em que um parto vaginal colocaria a mãe ou o bebé em risco. Entre estes casos estão o parto distócico, gravidez múltipla, pressão arterial elevada da mãe, apresentação de nádegas ou problemas com a placenta ou cordão umbilical. Um parto por cesariana pode ainda ser realizado por motivos relacionados com a forma da pelve da mãe ou quando existem antecedentes de outra cesariana. A Organização Mundial de Saúde recomenda que as cesarianas só sejam realizadas nos casos em que exista uma justificação médica. No entanto, algumas cesarianas são realizadas sem uma justificação médica a pedido de alguém, geralmente da mãe.


Um parto por cesariana tem geralmente a duração de 45 minutos a uma hora. Pode ser realizado sob anestesia espinhal, em que a mulher se encontra consciente, ou sob anestesia geral. É introduzido um catéter urinário para drenar a bexiga e o abdómen é limpo com um antisséptico. Geralmente é feita uma incisão com cerca de 15 cm no abdómen inferior da mulher. O útero é depois aberto com uma segunda incisão e o bebé retirado. No fim, as incisões são suturadas. Geralmente a mulher pode dar início à amamentação assim que desperta da anestesia e sai da sala de operações. Na maior parte dos casos, as cesarianas requerem alguns dias de internamento hospitalar até à mulher ter alta.


As cesarianas apresentam um ligeiro aumento do risco de prognóstico negativo em gravidezes de baixo risco. Também exigem maior tempo de cicatrização do que um parto vaginal, em média de de seis semanas. Os riscos acrescidos por uma cesariana incluem problemas respiratórios no bebé e embolia amniótica e hemorragia pós-partona mãe. As recomendações internacionais recomendam que não sejam realizadas cesarianas antes das 39 semanas de gravidez sem que haja uma justificação médica. O método de parto não aparenta ter influência na função sexual posterior ao parto.


Em 2012 foram realizadas em todo o mundo cerca de 23 milhões de cesarianas. A comunidade médica internacional tem considerado uma taxa de 10–15% como ideal para o número de cesarianas. Algumas evidências recentes indicam que uma taxa de 19% pode estasr associada a melhores prognósticos. Em mais de 45 países, as taxas de parto por cesariana são inferiores a 7,5%, enquanto em mais de 50 países as taxas são superiores a 27%. Têm sido realizados esforços tanto no sentido de melhorar o acesso como diminuir o recurso a cesarianas. A realização de cesarianas remonta a pelo menos 715 a.C. Geralmente eram realizadas após a morte da mãe e só ocasionalmente é que o bebé sobrevivia. As primeiras descrições de mães qe sobreviveram à intervenção datam do século XVI. Com a introdução dos antissépticos e anestésicos no século XIX, a sobrevivência tanto da mãe como do bebé passaram a ser a norma.

0 visualização

respeito. qualidade. amor.

Consultório - Perdizes

Avenida Monte Alegre, 212 conj. 42  Perdizes

cep 05092-040  São Paulo/SP

phone   +55 11  3865.0056

mobile/whatsapp   +55 11 99953.1900

Consultório - Alphaville

Alameda Grajaú, 98 conj. 1203  Alphaville

cep 06454-050  Barueri/SP

phone   +55 11  4314.7411

mobile/whatsapp   +55 11 96211.1361

  • FACEBOOK
  • INSTAGRAM
  • LINKEDIN
  • WHATSAPP do CONSULTÓRIO

2020 Dr. Paulo Tenório, All rights reserved.